segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Cerâmica de REVESTIMENTO

Não há quem não saiba o que é cerâmica de revestimento. Não há quem não disponha do conhecimento de que o produto ganhou o status de acabamento luxuoso. Não há quem não conheça o seu processo de produção. Prepara-se a massa com argilas de diferentes tipos, acrescida de areia, cascalho, feldspato e inclusive talco. Estabelecem-se o nível de moagem e a % de água na sua composição. Escolhem-se o meio de modelagem (extrusora, prensa ou artesanal) e o sistema de impressão em alta definição que marcará a estampa do produto, determinando-lhe a aparência. E leva-se ao forno, deixando-o pronto para fazer uso funcional e/ou criativo. Você pode é não saber que a indústria brasileira tem máquinas e equipamentos iguais aos usados na Itália e na Espanha, mas que tamanhos acima de 1m não são fabricados porque os nossos fornos são estreitos. É essa uma característica que não invalida a produção nacional.

Leia mais anfacer.org.br


Cerâmica de revestimento linha Hexie
Paginação virtual


Viés                    
HISTÓRICO 

Para fazer memória dos revestimentos, é preciso falar do azulejo [do árabe azzelij, ‘pequena pedra polida’] que nomeia o mosaico bizantino desde o Egito Antigo, na Mesopotâmia. O produto chegou a Portugal com a expansão islâmica e tornou-se recorrente nas fachadas e interiores das construções depois do terremoto do século 18, que arrasou Lisboa. No Brasil do século 19, mostrou-se bom isolante térmico para o clima tropical. No entanto, fique claro que a origem da produção nacional foi na década de 1950 no sul de Santa Catarina quando, baseada na pequena propriedade, antigas olarias evoluíram e outras surgiram da acumulação e enriquecimento de famílias com experiências comerciais. Atualmente, o país é um dos grandes do segmento depois da China: o segundo na produção e consumo, e na exportação. Prova disso são os 914,3 milhões de m² fabricados em 2014, com variedade de cores e formatos, reproduzindo inclusive a aparência de madeira, granito e outros materiais, em coleções assinadas por artistas plásticos e designers, que atraem o nosso olhar e criam tendências.

Leia mais necat.ufsc.br/files/2011/10/Keity-Kristiny-Vieira-Isoppo.pdf


1 Detalhe do mosaico de João Batista na Igreja-Museu de Santa Sofia, em Istambul na Turquia | 2 Detalhe do azulejo na fachada lateral da Igreja do Carmo, na cidade do Porto em Portugal | 3 Azulejos nas fachadas frontais dos sobrados no Centro Histórico de São Luís, no estado do Maranhão, Brasil | 4 São Francisco de Assis. Detalhe de painel em azulejos de Cândido Portinari na Igreja da Pampulha, em Belo Horizonte MG | 5 Detalhe de ladrilho hidráulico, difundido na Europa com o surgimento do cimento Portland, em 1824. Produto Ladrilhos Santo Antônio, Arvorezinha RS | 6 Detalhe de porcelanato com efeito de concreto aparente. Produto da Portobello Cerâmica, Tijucas SC | 7 Detalhe de cerâmica grés com efeito natural de madeira. Produto da Iris Cerâmica, Fiorano Modenese (MO), Itália | 8 Detalhe de pastilha de porcelana. Produto da Atlas, Tambaú SP Foto: Arquitetura&Construção/ 2015 jun.


Pegada
SUSTENTÁVEL

A autossuficiência é o modelo. Para aplicá-lo na atividade, empresas devem atender às exigências do Direito Ambiental para soluções de gerenciamento do processo produtivo. Isso se dá por uma série de dispositivos como redução de gases poluentes com adoção de biomassa [combustível proveniente de matéria orgânica, geralmente resíduos do agronegócio, para geração de energia térmica e elétrica], água reaproveitada devido às técnicas de tratamento de efluentes, recuperação das áreas degradadas pela extração de argila e dos depósitos de rejeitos oriundos da mesma, e reflorestamento das áreas desmatadas. Por melhores práticas, obtém-se desempenho econômico com diferencial competitivo e produto de qualidade. Estamos de cara verde!

Leia mais http://novacer.com.br/sustentabilidade-na-industria-de-ceramica-vermelha/


1 Biomassa residual (agrícola, florestal ou industrial) Foto: Associação Brasileira das Indústrias Biomassa – Brasil Biomassa e Energia Renovável, Curitiba PR | 2 Estação de tratamento de efluentes líquidos da Eliane Revestimentos Cerâmicos, Cocal do Sul SC, com 90% de reuso da água Foto: eliane.com/institucional/sustentabilidade | 3 Extração de argila (e mármore) para a indústria cimenteira, em Cantagalo RJ. Foto: Cartilha Pedagógica da Sociedade Geológica do Estado do Rio de Janeiro, divulgada no portal do Departamento de Recursos Minerais do Rio de Janeiro | 4 Horto Florestal em área cedida pela Atlas para Associação de Reposição Florestal do Pardo Grande-Verde Tambaú SP. Foto: ceratlas.com.br/ceramicaatlas/Novo/detInstitucional


Objeto-Conceito

Não é um porcelanato. É cerâmica. Mas não é uma grés, potencialmente resistente, com uso em pisos, paredes e bancadas. O tamanhos da linha Hexie enquadram-se na categoria semiporosa para revestimento de paredes com nível de absorção de água 6 <  abs 10%. Sob encomenda, artesanalmente conformados, têm preço de mercado 10 a 15 vezes mais que os similares industrializados.



Cerâmica de revestimento linha Hexie
Conformação em placas
Massa cerâmica marfim com esmalte transparente