segunda-feira, 17 de novembro de 2014

CERÂMICA COMPARTILHADA

Para colocar em prática cada ideia, vale para mim a máxima popular: “uma andorinha só não faz verão". A percepção do valor da cooperação é a de que o trabalho anda, quando formamos parcerias em todos os processos produtivos. Se as pessoas gostam da Regina Franco pelos objetos que veem, há competências complementares que fazem parte da marca para que fique melhor do que quando começou [vinte e cinco anos]. Ao lado das ceramistas Elizabeth Lambert, Julia Pirie, Lucinele Dutra e da recém-chegada Therezinha Fernandes, chego à conta de 2 fotógrafos, 1 designer gráfico e 1 redatora envolvidos pelo meu caminho na cerâmica.
Admitindo o clichê homenagem, convido-os a acompanhar o autorretrato, o perfil e a imagem favorita de dois deles especialmente concebida com a certeza de que ter um bom sucesso, só compartilhando.

           Diego
       Siliprando


Vivendo em São Paulo, o fluminense Diego Siliprando (Itaboraí, RJ) descobriu o web design quando resolveu ajudar um amigo a desenvolver um portfólio virtual em 2002. “Com o passar dos anos, percebi que ao confeccionar sites, além de ser muito prazeroso, havia a oportunidade de ganhar dinheiro”, revela. Diego entende que cada site tem suas peculiaridades, mas que todos devem otimizar o tempo entre a busca e a obtenção da informação desejada, agregar valores e sentimentos do seu dono [pessoa física ou jurídica] e, no caso específico do de cerâmica de autor, colocar o produto em evidência. “Não há uma definição de cores e formatos, mas sim com um site que seja simples e objetivo, e de fácil navegação”, avalia. Diego registra que sempre gostou de artes gráficas e, que por procurar ser detalhista em seus trabalhos, em muitos momentos não conseguiu parcerias que estivessem em sintonia com suas ideias e projetos, o que o levaram a expandir suas habilidades na área. “Isso foi um divisor de águas na minha vida profissional”, completa. Nessa trajetória vale-se da graduação em Publicidade e Propaganda pela Universidade Estácio de Sá.




Escultura. COLEÇÃO BAMBALALÃO

          Teresa
       S. Arantes
            



Formada em letras (USU/RJ, 1973), Teresa S. Arantes vive em Itaboraí. A cerâmica passou a fazer parte do seu dia a dia, quando seus pais compraram um sítio no distrito de Sambaetiba. “Percorria as olarias à procura de artefatos para decorar a casa [do sítio] e, naquela época, fazia pintura a frio”, recorda a carioca. Teresa diz que nunca coloca a mão na massa, mas que desenvolve outras experiências no universo da Regina Franco. “Minha atividade é bastante diversificada e quase sempre implica no registro das práticas do atelier”, informa. No momento atual, após o lançamento do blogue, o seu objetivo enquanto redatora é traduzir a escolha de temas e imagens, de valores e interesses da autora [sua irmã]. “Escrever ficha de produto não é muito difícil, mas produzir um texto claro, objetivo, conciso e sem informações óbvias demanda uma liturgia; e isto me fascina muito”, revela.



Pote CABOCLO